Médicos sem Fronteiras!

Médicos sem Fronteiras!
Médicos sem Fronteiras! Doe 30 reais por mês...

Canal do Gaaia no youtube!

Loading...

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Defensores do Botucaraí



 Candelária, Terça-feira, 20 de Abril de 2010

                         Defensores do Botucaraí


Por Cláudia Priebe 20/04/2010

Lixo no lixo: fiéis que fizeram a trilha se depararam com a novidadeDepois de iniciar a recuperação da área em que ocorreu o deslizamento de terras no Botucaraí - e que causou um verdadeiro "arranhão" em sua paisagem -, o Gaaia concentrou esforços para manter o local livre do lixo. Por isso, na noite de quinta-feira Santa integrantes do grupo instalaram 11 lixeiras ao longo da trilha feita pelos fiéis e visitantes. Conforme o coordenador do trabalho, Marcelo Coimbra da Silva, a ação foi desenvolvida com objetivo de evitar o acúmulo de sujeira em meio à vegetação. Em entrevista à Folha, ele disse que pelo menos 40 quilos de lixo deixaram de ser jogados no meio ambiente. "Maioria das pessoas que passaram pela trilha utilizou bem as lixeiras. Na sexta-feira Santa fizemos o trajeto e, discretamente, fotografamos para verificar se todos iriam ter a consciência de usar estes recipientes", adiantou. Apesar de a experiência ter sido satisfatória, Marcelo conta que havia lixo por toda parte. "No domingo de Páscoa fomos recolher o material deixado nas lixeiras e nos deparamos com um cenário desolador", acrescenta. Isto, conforme frisou, se justifica por dois motivos. "Tem pessoas que não querem andar cinco metros para colocar uma garrafa na lixeira, ou seja, preferem largar no chão a deixar no local mais próximo. Também não há fiscalização junto aos expositores; muitos deixam sujeira, como os jornais em que enrolam os produtos que comercializam". ALERTA - Na avaliação do Gaaia, se o Botucaraí não for cuidado outros deslizamentos poderão ocorrer. O alerta, desta vez, é para a trilha. "Numa extensão de 250 metros da trilha a chuva já levou parte da terra solta pelas pisoteadas. Isto poderá formar valos e carregar pedras enormes. O ideal seria desviar a água que desce pela trilha e o Gaaia está à disposição para ajudar neste trabalho", pontua. MAIS - Nos próximos meses, o grupo pretende mobilizar a comunidade - vereadores, especialmente - para transformar o Botucaraí em parque municipal. "A partir daí poderemos buscar recursos para colocar até 400 metros de escadaria com corrimão para facilitar a subida de pessoas idosas, atrair mais turistas e, quem sabe, aumentar a área existente fazendo novas trilhas", afirma. Durante o mês de agosto serão espalhadas caixas de sugestões, em vários pontos da cidade, para desenvolver ações que sejam do interesse da comunidade. Segundo Marcelo, já há tratativas para realizar uma palestra sobre sustentabilidade com vistas a debater o futuro do parque municipal. Quem tiver sugestões poderá postar no Orkut do grupo ou enviar pelo e-mail grupogaaia@gmail.com. EntendaA edição do dia 5 de fevereiro da Folha noticiou o início da recuperação da área em que ocorreu o deslizamento no Botucaraí. Na ocasião, foi registrada a tentativa de reflorestamento do local através da semeadura de milheto e rabanete forrageiro. O trabalho foi feito pelo Gaaia (Grupo de Apoio, Ações e Ideias Ambientais) depois de o fato ter sido relacionado a um incêndio, registrado naquele exato local, em 1991. Na ocasião, um dos integrantes do Gaaia explicou que "a proteção do solo foi queimada e as árvores maiores, cujas raízes sustentavam a camada de terra, morreram. Todas as plantas cresceram com sistema radicular enfraquecido, sem apoio nas fendas das rochas".


Crianças entenderam o recado deixado nas lixeiras e colaboraram